passado



"O passado é uma parte do tempo que se refere a todo e qualquer acontecimento em período de tempo anterior ao presente, sendo objecto da história, que identifica e classifica os eventos verificados."

Curioso...ainda que o tempo passe, as horas se transformem em pedacinhos de vida ainda por descobrir, há sempre um passado, um rol de sensações, de lugares, de rostos e de ligações que parecem não querer romper. Como seguir preso a uma rede tão entrançada? Não dá... há que, necessariamente, cortar com tudo, ou então com o quase tudo. De outra forma é impossível - é como que viver vendado seguindo em direcção ao conhecido que é nosso por hábito,... um inconsciente de falta do que nos fez sorrir e falta do que nos faz feliz (?) será....? Princípio, meio, fim. Tudo se resume a estas três palavras. O difícil é determinar onde é que o fim, e onde começa o início. Porque, no meio, estamos sempre certos. Etapas distintas que precisamos de demarcar. Um fim que precisamos de reconhecer, um início que desejamos....

Mas tem que haver um fim!

1 comentário:

Rafa Kid no Faroeste disse...

...E porque fica bem começar (ou acabar) com uma citação:
" O presente contém nada mais do que o passado. O resultado ja estava em questão."

Sempre haverá uma ligação ao que nos é conhecido. Desprendermo-nos de tal elo, saberá sempre como um corte a nós próprios (toda a gente sabe que sabe a metal), suster a respiração até aquele longínquo segundo que nunca mais chega: abrimos a boca em busca de vida e foda-se, aguentava mais!

Qualquer tentativa radical de mudança será infrutífero. Por outro lado, conformismo, nunca será a solução. Meio termo, equilibrio (utopia?). talvez por aí.

O "meio", onde nos encontramos; aí está o prazer! O fim será a morte. O início, nao me lembro! - ainda nao falava na altura - a vida nunca deverá ser encarada como uma mão cheia de níveis/fases a ultrapassar. Há que apanhar "as pedras no caminho" (mais tarde vem o castelo), gozar os bons momentos sem arrependimento e lembrá-los sem mágoa. Tudo resto, bagagem. A ambição como virtude (que é), nunca será uma "folha em branco". Quanto muito, reciclada. Reciclada pelas pedras, preciosas ou não, risos e lágrimas. Resumindo, experiência. E, com essa experiência, cada um tenta o seu melhor...

Beijinhos...
Tudo acaba bem... :)