regina quintanilha



Porque o conhecimento nunca prejudicou ninguém...

Regina Quintanilha foi a primeira Advogada Portuguesa.

A 6 de Setembro de 1910, com 17 anos requer a sua matrícula em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

A 24 de Outubro de 1910 atravessa a porta férrea da Faculdade.

Dela e de todas as mulheres apenas se desejava que fossem esposas obedientes e boas mães. Uma instrução elementar era suficiente.

Regina Quintanilha recebe autorização para exercer advocacia, quando o mesmo exercício era vedado às mulheres, de acordo com o Código Civil de 1867.

Com licença certificada pelo Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, veste a toga no Tribunal da Boa-Hora, em Lisboa, a 14 de Novembro de 1913.

Foi a primeira mulher a exercer funções como Conservadora do Registo Predial.

Sob a névoa de mentalidades que ainda não se encontravam preparadas para aceitar a afirmação feminina, são várias as vozes portuguesas que não hesitam em denegrir a imagem das mulheres que exercem uma profissão liberal.

Regina Quintanilha parte rumo ao Brasil. Colabora na Reforma da Lei Brasileira, e estabelece escritórios no Rio de Janeiro e em Nova Iorque. É Advogada de várias empresas francesas. Anos mais tarde volta a Portugal.

Falece a 19 de Março de 1967 na sua residência em Lisboa.

Actualmente as mulheres encontram-se em maioria na área de formação do Direito, embora continuem em minoria na carreira docente.

Feminismos muito à parte, que no séc. XXI não há tempo para estas coisas, hoje celebro a minha admiração por todas as mulheres com carreira na área do Direito, em especial às MINHAS MULHERES JURISTAS, que são simplesmente as melhores.

'Pode-se graduar a civilização de um povo pela atenção,
decência e consideração com que as mulheres são
educadas, tratadas e protegidas'

Marquês de Maricá

não é fácil

4 comentários:

Cátia Monteiro disse...

Olá Claudia. Desculpe, só vi agora o comentário no meu blog. De facto, eu também procurei e não consegui encontrar, só encontrei o site do CCS italiano: http://www.ccsit.org/ebone.php?app=ebone&mod=home&website_id=1&lng_code=ita&&eboneID=a18976397fab20d994e1f6a1ff3173e4

delilah disse...

já não aguento mais ouvir falar de direito, de toda a sua pretensão, ou de como os advogados são olhados de soslaio, de toda a sua essência e ideias, ou de como estamos perante uma descrença jurídica que nem para quem estuda dá alento, mas para ti, minha mulher jurista, um beijo grande.

quero copos, falar horas ao telefone, fumar um cigarrinho no fim dos ensaios, ir ao blá, cantar, cantar muito... quero!

Fallen, The Countess disse...

CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! Ah mulher de armas, é assim mesmo!!

aBell Montenegro disse...

A Regina morreu a 19 de Março de 1967 e eu nasci "direito" no dia seguinte.:-)
beijos